Sigo comentando a prova, agora passando ao quarto texto.

The words “poised” (l.19) and “yields” (l.47 and 53) mean, respectively,

A. On the verge and returns.

B. Etiolated and profits.

C. Shaken and gains.

D. Ready and risks.

E. Bolstered and outlay.

Poised está relacionado aos sentidos de on the verge e de readyYield é sinônimo de profit, gainreturn, de acordo com o Dicionário Merriam-Webster. Assim, a alternativa correta é a alternativa A.

According to the text, judge if the following items are right (C) or wrong (E).

1. According to at least one financial adviser, it’s naïve to correlate bonds with interest rates.

Entendo que o item está ERRADO porque o que Milo Benningfield, um consultor financeiro, afirma é que esse tipo de correlação é futile, não naive.

2. The main contention of the article is that investors should be skeptical about Bernanke’s remark in relation to the effects of the American economic recovery.

O texto fala sobre como, nas últimas semanas, investidores estão receosos de um colapso no mercado de títulos de crédito. Isso porque Ben Bernanke, presidente do Federal Reserve, deu a entender que a recuperação econômica pode permitir que o banco central estimule a economia, o que inclui a compra de títulos. O receio é de que as taxas de juros aumentem e com isso os preços dos títulos caiam. O que o autor do artigo afirma é que não é aconselhável apostar nas taxas de juros (e vender os títulos) e que os investidores deveriam adotar uma abordagem estratégica que leve em conta o motivo pelo qual eles têm títulos – alegando que investidores normalmente têm títulos por causa da estabilidade associada a eles.

Apesar de o título do texto ser “Taking a cue from Bernanke a litlle too far”, isso não quer dizer que o autor recomenda que os investidores sejam skeptical sobre o comentário de Bernanke, porque isso quer dizer duvidar que esse comentário seja verdadeiro ou esteja correto. Assim, entendo que o item está ERRADO.

3. The bond market is in such a predicament due to misjudgment on the part of American central bank’s chairperson.

O item está ERRADO porque o autor não estabelece essa relação de causa e efeito.

4. In general, bonds provide stability to an investor’s portfolio.

O item está CERTO porque é o que o autor afirma no penúltimo parágrafo (“the main reason longer-term investors hold bonds […] is to provide a steadying force”) e o que Francis Kinniry afirma no último parágrafo (“‘the role of bonds in a portfolio has always been to be a ballast or a diversifier to equity risk,’ said Francis Kinniry […]. And that is very true today.'”).

Regarding the text, judge if the items below are right (C) or wrong (E).

1. The word “from” in the excerpt “Making a bet on interest rates is not different from trying to predict the next big drop in stocks, or jumping into the market when it appears to be poised to surge higher.” (l.27-29) may be replaced by the word then with no interference in the grammar correction of the sentence.

O item está ERRADO. A palavra from está sendo regida pelo adjetivo different; substituí-la por then não faria sentido.

2. In the sentence “Their cue came from the Federal Reserve chairman, Ben Bernanke, who recently suggested that the economic recovery might allow the central to ease its efforts to stimulate the economy.” (l.14-17) the relative pronoun “who” may be replaced by whom in more formal contexts.

O item está ERRADO. Who é um pronome sujeito, enquanto whom é um pronome objeto. O que acontece é que, em contextos menos formais, o who também pode ser usado como pronome objeto. Isso não quer dizer que o whom possa ser usado como pronome sujeito, que é o que o item sugere, já que em “who recently suggested” o who é claramente sujeito da oração relativa.

3. In the sentence “United States government notes with maturities of 10 years or longer, however, lost an average of 10.8 percent over the same period.” (l.24-26), the adverb “however” may be moved to the beginning of the sentence without interfering in the meaning.

O item está CERTO. However é um advérbio que pode ser usado como advérbio, querendo dizer “no matter how” (como em “However hungry I am, I never seem to be able to finish off a whole pizza”)  ou como conjunctive adverb (connective), introduzindo um período que contrasta com o período anterior (como em “There may, however, be other reasons that we don’t know about” ou “This is one possible solution to the problem. However, there are others”).

O however que temos no texto está sendo usado como conjunctive adverb, e como o item afirma que mudá-lo para a posição inicial no período não mudaria o sentido, o item está CERTO.

Vale mencionar que se o item questionasse efeitos na gramaticalidade ou no estilo, a questão seria bem mais complicada. Há manuais que consideram esse uso conjuntivo de however como incorreto, afirmando que períodos não devem começar com however – é o caso do Chicago Manual of Style e parece ser o caso do The Elements of Style.

4. In the sentence “That includes scaling back its bond-buying program beginning later this year.” (l.17-18), the pronoun “its” refers to “economy”, in the previous sentence.

O item está ERRADO, pois its faz referência a the central bank.

Cheers!

Anúncios

(20/08: fiz algumas alterações nos comentários da 36.1, pois eu falava sobre o that da linha 20, e não sobre o da linha 21. 21/08: adicionei um parágrafo para explicar melhor a 36.2.)

Continuo os comentários, agora com relação ao terceiro texto da prova.

According to the author,

A. Ideologies require proper language.

A alternativa está INCORRETA porque o texto não afirma nada nesse sentido – pelo contrário, o texto fala inclusive que a linguagem comum pode dar expressão a ideologias nobres.

B. Common language opposes poetry.

A alternativa está INCORRETA. Na linha 20, o texto contrapõe a linguagem comum à linguagem da diplomacia. Apesar de o verbo estar no singular em “ordinary language or that of diplomacy has a momentum”, isso não quer dizer que “or that of diplomacy” esteja apenas explicando “ordinary language”: os dois sujeitos no singular estão conectados por or, caso no qual a concordância se dá no singular. Apesar dessa contraposição, e do fato de que o texto afirma que a linguagem da diplomacia é frequentemente (mas não sempre!) como a poesia (l.16), isso não é o mesmo que dizer que o autor contrapõe a linguagem comum à poesia.

C. Diplomacy is related to persuasion.

A alternativa está CORRETA, já que o texto afirma que a diplomacia “is the art of convincing others to perceive things your way.”

D. Ideas last less than material things.

A alternativa está INCORRETA, pois o texto afirma que “ideas are […] more enduring”.

E. Language is a demagogical expression.

A alternativa está INCORRETA, pois o texto não afirma nada nesse sentido; o autor apenas menciona que a linguagem comum e a linguagem da diplomacia podem expressar demagogia, mas também podem expressar ideologias nobres, teorias e crenças religiosas.

In relation to the pronouns shown in bold in the text above, judge if the items below are right (C) or wrong (E).

1. The pronoun “that” (l.21) refers to “language” (l.20).

O item está ERRADO. Quando a oração tem dois sujeitos (momentum / inner driving force) conectados por and, o verbo concorda no plural. Entretanto, o verbo após o that está no singular (is), o que indica ou que o that restringe apenas o sentido de inner driving force, ou que o autor entende momentum and inner driving force como uma coisa única (como no exemplo dado pelo Oxford Guide to English Grammar: “bread and butter was all we had”). Qualquer que seja o caso, o that da linha 21 não faz referência a language.

2. The pronoun “theirs” (l.5) refers to “others” (l.4).

O item está ERRADO. O theirs é um possessive pronoun que faz referência a um substantivo no singular ou no plural. Aqui ele faz referência ao substantivo que vem depois do possessive adjective your (a diplomacia é a arte de convencer os outros a entender as coisas da sua maneira, ou ao menos a ter dúvidas sobre a maneira deles).

É importante lembrar que my / your / his / her / our / their são possessive adjectives, o que quer dizer que eles sempre precedem um substantivo, como em your way. Já mine / yours / his / hers / ours / theirs são possessive pronouns, o que quer dizer que eles não só expressam uma ideia de posse, mas também substituem um substantivo que já foi mencionado. Por exemplo, em “this is my key and that is yours”, o pronome possessivo yours quer dizer your key – assim, ele faz referência a key. No texto da prova, o theirs quer dizer their way; assim, a referência é a way. 

3. The pronoun “It” (l.5) refers to “diplomacy” (l.2)

O item está CERTO – assim como o it da l.4 também faz referência a diplomacy, no mesmo esforço de definição do primeiro período.

4. The pronoun “they” (l.13) refers to “Ideas” (l.11).

O item está CERTO. O autor argumenta no período anterior que de forma diferente do que acontece com coisas materiais, as ideias não podem ser destruídas; só outras ideias podem lidar com elas.

Cheers!

Um leitor me pergunta se o uso do they na frase que segue está correto:

Everyone does what they must do.”

They está, nessa frase, fazendo referência a everyone. Entretanto, como sabemos, em termos de concordância verbal, everyone é geralmente tratado como terceira pessoa do singular, motivo pelo qual escrevemos, como vemos nessa mesma frase, everyone does e não everyone do. O pronome correto não deveria ser, então, he ou she – ou mesmo it?

O manual New Hart’s Rules, adaptado do The Oxford Guide to Style, afirma que o uso do he para fazer referência a pessoas cujo gênero não está especificado é geralmente considerado ultrapassado e sexista, como no exemplo “every child needs to know that he is loved”. O uso do he or she é preferível e é considerado a melhor solução para contextos formais. Entretanto, como o uso do he or she pode ser cansativo por ser palavroso, o uso do they (como em “everyone needs to feel that they matter”) nesses casos está se tornando cada vez mais aceitável tanto na fala quanto na escrita, especialmente quando faz referência a pronomes indefinidos, como everyone ou someone.

O Oxford Dictionaries diz que o uso do they como uma alternativa ao he nesses casos é corrente desde o século XVIII – e que é esse o uso que o dicionário adota, apesar de he or she também ser considerado uma alternativa válida.

Por sua vez, o The Economist Style Guide (também disponível, porém não integralmente, online) afirma que o plural pode ser utilizado. Por exemplo, “instruct the reader without lecturing him” poderia ser escrito assim: “instruct readers without lecturing them”. É claro que há casos em que utilizar o plural pode não ser tão simples (como em “find a good teacher and take his advice”), casos nos quais os autores do manual não veem problemas em utilizar o masculino – aliás, eles inclusive mencionam que em alguns contextos she pode ser um substituto para he.

Dessa forma, sim, o uso do they está correto nesse caso, assim como estaria o uso do he or she. Sobretudo, é importante evitar estruturas que misturem as referências pronominais, pois isso pode resultar confuso (como em “when someone proofreads their own writing, he or she is able to identify their own mistakes”).

Cheers!